A Lição do Pouso do Avião no Rio Hudson para o mundo corporativo

Para alguns você pode ser herói e para outros pode ser culpado

Por Pedro Paulo Morales

O filme “SULLY – O HERÓI DO RIO HUDSON” sobre o acidente de um avião ocorrido em 2009 quando uma revoada de pássaros atinge as turbinas da aeronave pilotada por Chesley “Sully” Sullenberger (no filme, Tom Hanks) traz uma lição importante para o mundo corporativo.

O que mais chama a atenção no filme é que mesmo tendo salvado 150 passageiros que estavam a bordo do avião e ter se tornado um herói nacional “Sully” enfrentou um rigoroso julgamento interno coordenado pela agência de regulação aérea nos Estados Unidos. Continuar a ler “A Lição do Pouso do Avião no Rio Hudson para o mundo corporativo”

Cultura da Exigência

Não sabemos o que virá por aí porem a Cultura da Exigência sempre existirá

Por Pedro Paulo Morales

Negócios, Empresário, Masculino

Hoje muito se fala em cumprir metas e atingir resultados, estas duas condições são essenciais para o sucesso empresarial e vem garantindo através do tempo o desenvolvimento das empresas e do mundo. Podemos chamar esses dois pré-requisitos de pilares da Cultura da Exigência pois são atitudes que sempre serão cobradas pelos stakeholders de uma empresa. Continuar a ler “Cultura da Exigência”

Um bom desempenho depende de um bom líder

O sonho de qualquer pessoa que assume uma posição de liderança é ter uma equipe de alto desempenho. Muitos líderes erroneamente “delargam” para a equipe essa missão, não orientam, não conversam com a equipe e com o passar do tempo, quando a equipe não atinge esse patamar, começam a se lamentar e a perguntar pelo qual motivo a sua equipe não tem aquele famoso “brilho nos olhos” e não atinge resultados. Continuar a ler “Um bom desempenho depende de um bom líder”

Ei velho! O que você está fazendo aqui?

A nova realidade está aí: Estrutura horizontal, trabalho em equipe, metodologia ágil e não sabemos o que vem pela frente!

O título deste artigo espanta? É a pura realidade, isso acontece ainda nas empresas e com muita frequência, mesmo que seja por meio daquelas brincadeiras sem gosto que andam por aí, no mundo corporativo e até em outros lugares.

Este diálogo foi presenciado por mim em uma loja onde um rapaz novo perguntava a um senhor se 50 poucos anos o motivo pelo qual ele não ia para casa e o senhor respondeu com melancolia “o jeito é esperar…”. Continuar a ler “Ei velho! O que você está fazendo aqui?”