A violência nas empresas

        A violência física está chegando ao mundo corporativo. Na cidade de São Leopoldo no Rio Grande do Sul, um funcionário de acabou morto pelo chefe durante o expediente devido a uma desavença no horário de tomar café. Apesar de a violência física não ser constante no mundo corporativo é preciso tomar cuidados para que ela não se torne uma rotina no mundo corporativo, pois se tem muito problemas com outros tipos de violência como o assédio moral e sexual.

Com o início da pandemia da Covid 19 as empresas enfrentaram grandes dificuldades e quando a pandemia deu sinais de que iria embora o mundo foi surpreendido pela guerra da Rússia x Ucrânia que causou mais problemas econômicos como aumento dos preços das comodities. Para se ter uma ideia a Ucrânia e Rússia representam mais de 30% da demanda mundial de trigo e 10% do comércio global de alimentos e isso naturalmente impacta os negócios e a vida de milhões de pessoas.

Esse clima de incerteza que estamos vivendo abala o equilíbrio emocional das pessoas onde pequenos incidentes como uma mera desavença por causa de um cafezinho fora do horário foi transformado em um assassinato. É certo que para tudo devemos ter regras, as regras são essenciais para podermos conviver melhor com as pessoas dentro de um ambiente, mas chegar ao ponto de cometer um crime porque um funcionário descumpriu uma é um fato gravíssimo. Se o funcionário estava descumprindo uma regra constantemente não seria mais prudente demiti-lo?

O psicólogo americano Abraham Maslow mapeou no seu trabalho “A hierarquia de necessidades de Maslow”, que define que o ser humano tem tipos de necessidades como as básicas (fisiológicas e segurança) e as Psicológicas (sociais, estima e autorrealização) e observa ainda que enquanto o ser humano não tiver a necessidade dos níveis básicos satisfeitas fica difícil avançar para os níveis acima.

É possível que a situação mundial e brasileira esteja influenciando esse tipo de comportamento por parte do ser humano, pois sem as necessidades básicas como alimentação, moradia e segurança para ir e voltar do trabalho e até permanecer nele estejam influenciando causando essa situação de desequilíbrio entre os seres humanos.

Vamos refletir e sucesso!

Os Búfalos e a liderança

O mundo animal não cansa de dar bons exemplos para os seres humanos. Um desses maiores exemplos é a liderança. 

Conta-se que na América do Norte os primeiros colonizadores do território foram capazes de dizimar mandas inteiras de búfalos simplesmente porque entenderam como a liderança funcionava nestes grupos. Neles, a liderança era exercida sempre pelos animais mais fortes que poderiam ser tanto machos com fêmeas.  Os líderes das manadas dirigiam o grupo com força sem espaço para rebeldias. Nesses grupos quando o búfalo líder decidia a direção todos iam atrás e quando os líderes morriam ou ficavam doentes a manada se dispersava ou ficava exposta aos predadores 

Apesar de hoje a liderança estar muito mais democrática e moderna infelizmente ainda existem líderes que no mundo corporativo agem como verdadeiros búfalos, querem que suas ordens sejam respeitadas a qualquer custo, não dando espaço para opiniões, discussões ou reuniões estratégicas. Outra característica desses líderes é que eles nunca tiram férias pois como eles costumam dizer, sem sua presença as “coisas não andam”  

As equipes lideras pelos chefes Búfalos costumam ser composta por pessoas medrosas e sem criatividade, em tudo dependem do chefe até mesmo para pequenas decisões cotidianas. Em alguns casos quando as pessoas ousam em tomar decisões estas são punidas exemplarmente mesmo que a decisão seja acertada.  

 Outra característica dessas equipes é que quando o chefe não está presente elas simplesmente vagam pela empresa sem saber como agir, ou ficam à espera de ordens para desempenharem as suas funções.  

Infelizmente, embora que de maneira sutil ainda temos em pleno século 21 chefes Búfalos travestidos de líderes. Estes para atingirem resultados mantêm suas equipes no cabresto onde os “liderados” esperam uma oportunidade para se desgarrar da manada. 

Vamos refletir e sucesso! 

Vivendo com se estivesse no Titanic

sunset-boat-sea-ship-37730.jpeg

Foto por Pixabay em Pexels.com

Há muito tempo já queria ter escrito este artigo. Ao ver como as pessoas estão se comportando diante a pandemia do Coronavírus tento compreender as reações de cada grupo de pessoas frente essa doença que está fazendo o mundo ficar muito complicado.

            Quando penso sobre o assunto lembro do filme Titanic estrelado por Leonardo DiCaprio como Jack Dawson, e Kate Winslet como Rose DeWitt Bukater., que conta em forma de ficção o naufrágio do RMS Titanic um navio de passageiros britânico luxuoso e mais seguro de sua época e que era considerado “inafundável”.

Continuar a ler

A COVID 19 vem acelerando as mudanças, é hora improvisar, adaptar e superar

Por Pedro Paulo Morales

Muitas pessoas ainda resistem a ideia de que estamos passando por mudanças. A pandemia da COVID 19 tem mudados o jeito de trabalhar, divertir e até viver! Muitos trabalhadores estão em home office e outros estão trabalhando nos seus locais de trabalho como por exemplo indústrias ou lojas de rua ou shoppings. Mas nem todos estão conseguindo manter essa situação. Continuar a ler