A violência nas empresas

        A violência física está chegando ao mundo corporativo. Na cidade de São Leopoldo no Rio Grande do Sul, um funcionário de acabou morto pelo chefe durante o expediente devido a uma desavença no horário de tomar café. Apesar de a violência física não ser constante no mundo corporativo é preciso tomar cuidados para que ela não se torne uma rotina no mundo corporativo, pois se tem muito problemas com outros tipos de violência como o assédio moral e sexual.

Com o início da pandemia da Covid 19 as empresas enfrentaram grandes dificuldades e quando a pandemia deu sinais de que iria embora o mundo foi surpreendido pela guerra da Rússia x Ucrânia que causou mais problemas econômicos como aumento dos preços das comodities. Para se ter uma ideia a Ucrânia e Rússia representam mais de 30% da demanda mundial de trigo e 10% do comércio global de alimentos e isso naturalmente impacta os negócios e a vida de milhões de pessoas.

Esse clima de incerteza que estamos vivendo abala o equilíbrio emocional das pessoas onde pequenos incidentes como uma mera desavença por causa de um cafezinho fora do horário foi transformado em um assassinato. É certo que para tudo devemos ter regras, as regras são essenciais para podermos conviver melhor com as pessoas dentro de um ambiente, mas chegar ao ponto de cometer um crime porque um funcionário descumpriu uma é um fato gravíssimo. Se o funcionário estava descumprindo uma regra constantemente não seria mais prudente demiti-lo?

O psicólogo americano Abraham Maslow mapeou no seu trabalho “A hierarquia de necessidades de Maslow”, que define que o ser humano tem tipos de necessidades como as básicas (fisiológicas e segurança) e as Psicológicas (sociais, estima e autorrealização) e observa ainda que enquanto o ser humano não tiver a necessidade dos níveis básicos satisfeitas fica difícil avançar para os níveis acima.

É possível que a situação mundial e brasileira esteja influenciando esse tipo de comportamento por parte do ser humano, pois sem as necessidades básicas como alimentação, moradia e segurança para ir e voltar do trabalho e até permanecer nele estejam influenciando causando essa situação de desequilíbrio entre os seres humanos.

Vamos refletir e sucesso!

O estilo de gestão de Jorge Jesus

Por Pedro Paulo Morales

Será que não falta em nossas empresas um pouco do estilo de gestão de Jorge Jesus?

Desporto, Lazer, Futebol, Formação, Bola

Em uma época onde o estilo de gestão de pessoas está se tornando mais “light” um jeito de gestão vem se destacando, ao menos no mundo do futebol: O Estilo JJ, um modelo de fazer gestão onde o que vale é uma dose de pressão por resultados.

Ninguém no mundo do futebol discute que o treinador Jorge Jesus é extremamente focado em resultados e tem como ponto a seu favor uma alta dose de perfeccionismo, não admite falhas de seus jogadores e resiliência para treinar, treinar e treinar quantas vezes seja necessário, até que os jogadores atinjam níveis de excelência. Continuar a ler

Ei velho! O que você está fazendo aqui?

A nova realidade está aí: Estrutura horizontal, trabalho em equipe, metodologia ágil e não sabemos o que vem pela frente!

O título deste artigo espanta? É a pura realidade, isso acontece ainda nas empresas e com muita frequência, mesmo que seja por meio daquelas brincadeiras sem gosto que andam por aí, no mundo corporativo e até em outros lugares.

Este diálogo foi presenciado por mim em uma loja onde um rapaz novo perguntava a um senhor se 50 poucos anos o motivo pelo qual ele não ia para casa e o senhor respondeu com melancolia “o jeito é esperar…”. Continuar a ler

Chefe é quem resolve

Neste final de semana estava em um supermercado pequeno perto de casa e presenciei uma conversa entre colaboradores dessa loja. Na conversa foi dada duas definições para a palavra chefe: primeira: “quem tem chefe é índio” e a segunda chefe é quem “resolve o problema”.

A palavra chefe tem duas definições segundo o dicionário: 1 – indivíduo investido de poder para ocupar lugar de mando, 2- pessoa que se destaca pelas qualidades, competência, poder de decisão etc. Veja que são duas definições para a mesma palavras e que de certa forma as duas se completam. Continuar a ler