Os leões e o bife orçamentário

O orçamento deve acompanhar a estratégia

Nesta semana ouvindo um Controller de uma empresa falando no planejamento estratégico anual de uma unidade operacional, ele definiu bem qual é um sentimento de um profissional que trabalha na área de orçamento: Ele se sentia na época da divisão do orçamento como um treinador que tinha que dividir um bife dentro de uma jaula com leões famintos e o pior de tudo é que muitas vezes o bife é pequeno e não possível alimentar os leões de acordo com a sua necessidade.

                Para evitar que ocorra a disputa por recursos, que muitas vezes é limitada é preciso um bom planejamento estratégico porque para que uma estratégia de certo é preciso dimensionar corretamente os recursos que serão disponibilizados.

Quando falo em uma estratégia quero dizer que ninguém faz nada sem recursos bem dimensionados. Seria algo como ir de Fortaleza a Recife em 1h:30 minutos com R$ 80,00, todos sabem que apenas é possível cumprir essa meta indo de avião, mas com o preço 10 vezes mais caro. Com R$ 80,00 você chega, mas em cerca de 14 horas. Isso é estratégia aplicada ao orçamento sempre é preciso ter recurso adequado para a estratégia que se quer implementar.

                Por esse motivo sugiro que seja observado os seguintes passos quando o assunto é estratégia e alocação de orçamento.

  1. Trace a sua estratégia: Planeje onde você quer chegar, verifique quais os pontos críticos e quais pontos planejados no ano anterior não foram alcançados, lembre-se que se algum projeto ou plano não foi feito um problema poderá vir pela frente.
  2. Dimensione recursos: Muitas vezes o orçamento não é suficiente para fazer aquilo que precisamos sendo assim elenque no seu planejamento quais aqueles que precisam ser feitos com urgência e quais aqueles que vão proporcionar um a melhora na meta por exemplo.
  3. Execução: Durante a execução evite o desperdício, é certo que sempre podemos melhorar um processo por mais enxuto que ele seja. Avalie os processos e procure fazer uma melhora por mínimo que seja.
  4. Controle: Outro ponto que deve ser analisado durante a execução orçamentária é o controle que deve ser feito diário a fim de identificar variações tanto a maior (falta de recursos) quanto a menor (sobra de recursos).
  5. Avaliação: Através da criação de índices podemos avaliar como está o desempenho do nosso planejamento. Crie relatórios rápidos e explicações curtas e sempre reavalie se está no caminho certo.
  6. Colabore com a empresa: Lembre que existe outras áreas na empresa e que você precisa sempre garantir a sobrevivência do todo porque apenas uma parte vai sempre vai ser uma parte. Nãos seja individualista.

Fazendo assim você terá bons argumentos para defender a sua parte “ do bife orçamentário” e sempre contará com a simpatia do “treinador” que na hora H pode colocar um “molho especial” no seu bife! Seja um leão civilizado!

Vamos refletir sobre isso e sucesso!

Pedro Paulo Galindo Morales é Graduado em Gestão, Pós-Graduado em Controladoria e Técnico em Contabilidade. Atua também como Coordenador de conteúdo do Blog Falando de Gestão   www.pedropaulomorales.com, pedropaulomorales@yahoo.com.br

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s