A violência nas empresas

        A violência física está chegando ao mundo corporativo. Na cidade de São Leopoldo no Rio Grande do Sul, um funcionário de acabou morto pelo chefe durante o expediente devido a uma desavença no horário de tomar café. Apesar de a violência física não ser constante no mundo corporativo é preciso tomar cuidados para que ela não se torne uma rotina no mundo corporativo, pois se tem muito problemas com outros tipos de violência como o assédio moral e sexual.

Com o início da pandemia da Covid 19 as empresas enfrentaram grandes dificuldades e quando a pandemia deu sinais de que iria embora o mundo foi surpreendido pela guerra da Rússia x Ucrânia que causou mais problemas econômicos como aumento dos preços das comodities. Para se ter uma ideia a Ucrânia e Rússia representam mais de 30% da demanda mundial de trigo e 10% do comércio global de alimentos e isso naturalmente impacta os negócios e a vida de milhões de pessoas.

Esse clima de incerteza que estamos vivendo abala o equilíbrio emocional das pessoas onde pequenos incidentes como uma mera desavença por causa de um cafezinho fora do horário foi transformado em um assassinato. É certo que para tudo devemos ter regras, as regras são essenciais para podermos conviver melhor com as pessoas dentro de um ambiente, mas chegar ao ponto de cometer um crime porque um funcionário descumpriu uma é um fato gravíssimo. Se o funcionário estava descumprindo uma regra constantemente não seria mais prudente demiti-lo?

O psicólogo americano Abraham Maslow mapeou no seu trabalho “A hierarquia de necessidades de Maslow”, que define que o ser humano tem tipos de necessidades como as básicas (fisiológicas e segurança) e as Psicológicas (sociais, estima e autorrealização) e observa ainda que enquanto o ser humano não tiver a necessidade dos níveis básicos satisfeitas fica difícil avançar para os níveis acima.

É possível que a situação mundial e brasileira esteja influenciando esse tipo de comportamento por parte do ser humano, pois sem as necessidades básicas como alimentação, moradia e segurança para ir e voltar do trabalho e até permanecer nele estejam influenciando causando essa situação de desequilíbrio entre os seres humanos.

Vamos refletir e sucesso!

O Contexto Certo

Em uma estação de metrô em Washington, Estados Unidos um homem com boné de beisebol e um moletom surrado pelo tempo, tocava solitário com seu violino músicas clássicas e pedia uma contribuição. O homem tocou durante foras seguidas e apenas sete pessoas dentre os milhares que passaram pela estação naquele dia pararam para ouvi-lo e deram algum trocado para o artista de rua anônimo que se apresentava.

Esse artista de rua era o consagrado violonista americano Joshua Bell que a convite do jornal americano Washington Post aceitou fazer se passar por um artista de rua.  Conforme o resultado da experimento apenas 27 pessoas ajudaram o músico e dentre estas apenas sete pararam para ouvir e apenas uma o reconheceu dando ao famoso violonista uma ajuda de US$ 20. Curiosamente dias antes Bell tinha se apresentado com o mesmo repertório no Symphony Hall de Boston, com ingressos a US$ 1 mil por pessoa, muito mais do que os US$ 57 dólares incluindo os 20 dólares da mulher que o reconheceu. O valor arrecadado vou doado a uma instituição de caridade.

Esse experimento feito pelo jornal Washington Post ajuda entender um pouco da dinâmica do sucesso profissional e até mesmo pessoal.

Muitas vezes ficamos pensativos e nos sentimos culpados por não ser bem-sucedido, por não reconhecerem o nosso trabalho dentro de uma organização ou até mesmo nos conseguimos entender o motivo pelo qual somos excluídos até mesmo de um círculo de amizade ou família.

O experimento do jornal Washington Post mostrou que muitas vezes estamos acostumados a dar valor às coisas quando estão num contexto, devemos compreender também que tudo na vida muda de contexto ao longo dos anos ainda mais quando se passa por uma pandemia como a da COVID 19.

Talvez você esteja lamentando porque não tem o mesmo sucesso profissional de antes, não tem mais amigos de antes ou até mesmo o amor que um dia existiu, porém precisamos analisar como esta o nosso contexto de vida agora. Quais são nossas aspirações? Como estamos nos comportando frente aos novos desafios? Que tipo de conduta estamos tendo para com as pessoas? Qual é o contexto do mundo agora? Estas respostas apenas você sabe, então te convido!

Vamos refletir e sucesso!

Você sabe o que são NFT’s ?

cropped-pai-cortado1.jpg

Por Pedro Paulo Morales

Conforme site do Nubank, startup brasileira pioneira no segmento de serviços financeiros NFT é uma sigla para non-fungible token – ou token não-fungível. De forma simplificada, o NFT é um código de computador que serve como autenticação de um arquivo – a garantia de que ele é único.

Mas o que é um ativo fungível e um ativo não fungível, são muitas perguntas, não é?

Então vamos lá!  Usamos esse termo, em economia quando queremos dizer que um ativo pode ou não ser divisível. Ativos fungíveis são aqueles cujas unidades possa, ser trocadas sem alterar o valor. Por exemplo: você pode trocar uma nota de R$ 50 por cinco notas de R$ 10 reais ou 10 de R$ 5,00  e elas continuarão valendo a mesma coisa. Continuar a ler

As fábricas em alto mar

Conheça as fábricas que estão revolucionado o conceito de tempo de produção x entrega para os clientes.

Foto por Johnmark Barit em Pexels.com

Um trecho do programa “O Imponderável” apresentado por Gil Giardelli na Record News me chamou muita atenção.

Gil Giardelli trouxe o exemplo da Li & Fung Limited empresa sediada em Hong Kong e fundada em 1906 por Fung Pak-liu um professor de inglês. A empresa iniciou suas operações com foco no comércio de artesanato da China para o Ocidente até se tornar a corporação multinacional de hoje, gerenciando cadeias de suprimentos complexas para marcas e grandes varejistas em todo o mundo, o que significa que a roupa celular que você está usando pode ter sido produzido em várias partes do mundo. Continuar a ler