A Gestão está em Xeque?

Com esses episódios, Odebrecht e JBS podemos suspeitar que ao menos algo não anda bem com modelo de gestão adotado por essas empresas

Com a recente delação dos proprietários da JBS e da Odebrecht podemos fazer essa pergunta a gestão está em Xeque no Brasil? Em um jogo de xadrez a expressão xeque mate quer dizer algo como o que o rei foi capturado sem possibilidade de fuga ou está morto quando se estabelece assim o final do jogo.

É um exagero de minha parte em falar que a gestão está ameaçada ou até mesmo mortas, mas com os últimos acontecimentos podemos dizer que ela foi jogada para um segundo plano.

Durante essas delações premiadas de executivos e donos dessas empresas pudemos ver como as coisas funcionavam nesse Brasil. A JBS criada a partir de açougue na cidade de Anápolis (GO) cresceu sob a tutela do governo, ou seja, com os empréstimos do BNDES se tornou a maior processadora de carnes do mundo e a maior empresa privada em faturamento no Brasil, só perdendo para a Petrobras.

O grupo foi longe, hoje tem sob seu comando empresas de nome como Alpargatas (Sandálias Havaianas), Vigor (leites e derivados) Swift (frigorifico norte americano comprado em 2007) e a marca Bordon (embutidos, que veio para o grupo quando a JBS comprou o Grupo Bertin). Como podemos constatar são marcas que são referência para o mercado brasileiro.

Estaria tudo certo se este crescimento fosse feito de uma maneira normal, com planejamento estratégico, metas arrojadas ou esforço próprio sem a interferência de políticos ou “propineiros” profissionais cujo objetivos não eram o crescimento da empresa brasileira e sim o crescimento do próprio bolso e de seus aliados.

Estou exagerando, não! Basta lembra da declaração do Sr. Emilio Odebrecht mandava seus executivos para fora para aprender como se fazia gestão em ambientes competitivos. Sobre esses executivos também eles estão sendo prejudicados pois vários artigos de jornais e duvidas que estão na internet já há como o tema a pergunta “Trabalhei em uma empresa que está sofrendo denúncias de corrupção, meu currículo está prejudicado? ”

Com esses episódios podemos suspeitar que ao menos algo não anda bem com modelo de gestão adotado por essas empresas onde o que vale é uma porcentagem sobre alguma negociata e não planejamento estratégico, metas e eficiência.

É triste escrever, mas quantas empresas neste Brasil devem estar sendo sugadas pela “máquina política”? Quantas vão desaparecer? Quantos empregos vão acabar? Será que a gestão está em Xeque?

Vamos refletir sobre isso e sucesso!

Pedro Paulo Galindo Morales é Graduado em Gestão Especialista em Controladoria e Técnico em Contabilidade. Atua também como Coordenador de conteúdo do Blog Falando de Gestão   www.pedropaulomorales.com, pedropaulomorales@yahoo.com.br

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s