Qualidade da gestão nos negócios

Por Pedro Paulo Galindo Morales

Publicado no Webartigos

Este artigo é baseado na entrevista feita com Ricardo Correa, diretor da Fundação Nacional da Qualidade para o programa Mundo Corporativo da radio CBN.

A Gestão é utilizada em todos os setores de uma empresa, ela esta presente na coordenação de pessoas, de produção, no planejamento, na qualidade dos  resultados, na relação com a sociedade envolvendo até a comunicação com o mercado onde atua a organização.

No final de década de 80 o Japão era motivo de preocupação para os empresários Brasileiros, motivada pela revolução provocada pelos produtos japoneses que ganhavam o mercado com preços mais acessíveis e qualidade superior.

 Nesta época, empresas começaram a tomar consciência da necessidade de desenvolver a indústria brasileira, no sentido de tornar seus produtos competitivos mundialmente. A qualidade passou a ser vista como ponto estratégico fundamental para o crescimento e sobrevivência de várias indústrias.

A FNQ – Fundação Nacional da Qualidade – é uma entidade privada e sem fins lucrativos que foi criada em outubro de 1991 por representantes de 39 organizações brasileiras dos setores público e privado. O objetivo inicial era premiar as empresas Brasileiras que se destacavam em assuntos de qualidade baseados na criação de modelo de referencia para a operação das empresas para a posterior verificação das praticas desenvolvidas pela empresa em comparação com o modelo criado.

O Brasil se destaca em modelo de gestão da qualidade, tem instituições ligadas à qualidade desde 1876, portanto a muito mais tempo do que o Japão, e até mesmo os Estados Unidos, de pequenas a grandes empresas se utilizam dos produtos ou serviços da Fundação, como palestras, seminários, workshops e encontros realizados na própria sede da instituição, em São Paulo, ou em outras cidades do Brasil ou se utilizam do Banco de Boas Práticas. A Fundação é composta por 30.000 empresas, que atualmente utilizam o sistema visando a melhoria da qualidade de gestão e a fazendo  se  expandir para toda a empresa.

O Modelo de Excelência da Gestão MEG está alicerçado sobre um conjunto de conceitos fundamentais e utiliza o conceito de aprendizado e melhoria contínua, segundo o ciclo de PDCL (Plan, Do, Check, Learn).

Este alicerçado em 11 fundamentos (pilares), a saber: Pensamento Sistêmico, Aprendizado Organizacional, Cultura de Inovação, Liderança e Constância de Propósitos, Orientação por Processos e Informações, Visão de Futuro, Geração de Valor, Valorização das Pessoas, Conhecimento sobre o Cliente e o Mercado, Desenvolvimento de Parcerias e Responsabilidade Social. É através desses 11 pilares que as empresas buscam a sua competitividade no mercado, pois sem qualidade, preço, ética e sustentabilidade elas ficaram fora do mercado.

Na balança corporativa um produto ruim não se sustenta com uma má gestão, mas um produto bom se sustenta por algum tempo, fatores como ética, respeito pela sociedade geram confiança, o cliente de hoje esta mais consciente e como clientes de outros países, o cliente Brasileiro evoluiu muito, hoje a sociedade é seletiva, a classe C e D desejam baixo custo aliado à qualidade e sustentabilidade e uma gestão de qualidade pode fazer a grande diferença quando o assunto é competitividade.

Vamos refletir sobre isso!

(Pedro Paulo Galindo Morales é Tecnólogo em Gestão, Pós- Graduado em Controladoria, Técnico em Contabilidade e Blogueiro,   www.falandodegestao.wordpress.com).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s