Sobre o Desenvolvimento da autoridade: Os princípios de liderança servidora do Monge e o Executivo.

Por Pedro Paulo Galindo Morales

Neste capitulo Hunter diz como é o desenvolvimento da autoridade e como as pessoas absorvem com mais facilidade o conceito de liderar através do poder, que leva ao uso da força, tarefas extras, relacionamentos abalados entre outras conseqüências. Hunter ao observar esse tipo de comportamento concentrou seus estudos em outro tipo de liderança aquela em que se consegue mobilizar as pessoas do “pescoço para cima”, ou seja, de bom grado, e para entender qual a verdadeira essência da liderança estudou grande lideres de todas as áreas com militar, pedagógica, negócios, esportes, entre outros porque Hunter a esta altura sabia que o uso do poder era limitado.

Estudando estes lideres Hunter chegou à conclusão que deveria saber o que Jesus tinha a dizer sobre liderança, pois deixando de lado a parte de religião é não se pode negar que Jesus foi um grande líder obtenho ate mesmo o reconhecimento de Napoleão Bonaparte que chegou a dizer que existiram grandes impérios que foram construídos na base da força, mas o filho do modesto carpinteiro fundou o seu império na base do amor e até hoje milhares de pessoas o seguem.

A essência da liderança esta em servir e conforme uma passagem do evangelho de Mateus que se me permitem uma referencia extra capitulo 3 quando menciono o Capitulo 10 do evangelho de Mateus onde Cristo chamou os discípulos e deu-lhes poder (autoridade) para curar todas as enfermidades e todo o mal, na viagem eles deveriam falar sobre a palavra de Deus e curar a todos sem ver a quem a viagem deveria ser feita de maneira simples sem se preocupar com coisas materiais e quem não os ouvissem eles deveriam perdoar.

Esta complementação foi feita para tentar mostrar como Hunter tem razão quando escreve que para liderar é preciso influenciar as pessoas do “pescoço para cima” e é justamente isso que lemos na passagem do evangelho de Mateus que Jesus de poder “autoridade” aos discípulos de curar os males (servir) de todos a fim de influenciar a todos a aceitar o era dito (chegou o reino dos céus) o que comprova mais uma vez que influencia e liderança quando legítimas são construídas com muito trabalho e sacrifício.

As pessoas geralmente são resistentes a servir pois acham que para ter autoridade basta ter um cargo , mas elas não sabem que tudo melhoraria se o controle diminuísse e a confiança fosse aumentada, não que o controle deva ser posto em segundo plano porque ele é importante mas a confiança é também uma fonte de motivação para os colaboradores.

Muitos líderes têm pouca idade emocional são do tipo “eu quero” ou “eu sou o maior” e essa atitude cria problema de relacionamento com seus liderados porque o que realmente funciona em uma liderança servidora é a renuncia aos interesses pessoais aos interesses de todos.

A alegria de servir deve estar sempre presente porque com Abraham Lincoln disse “Quando eu faço o bem eu me sinto  bem” ou seja quando respeito os outros tenho colaboração e quando sou egoísta eu tenho pessoas pensando em sentido contrario.

Servir é uma opção pessoal e por isso devemos aprender a servir para influenciar e quando influenciamos temos autoridade.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s