Sobre inteligência emocional e liderança: os princípios de liderança servidora de O Monge e o Executivo.

Por Pedro Paulo Galindo Morales

O artigo fala dos princípios de liderança servidora contidos no capitulo 8 do livro “Como se Tornar um Líder Servidor” de James C. Hunter

Continuando a série de artigos do livro “Como se tornar um líder Servidor” vamos falar sobre o capitulo oito onde Hunter diz que apesar de treinar executivos em liderança servidora os resultados alcançados não eram satisfatórios pois apenas 10% das pessoas treinadas apresentava melhoras sensíveis e certamente esses percentuais não agradam os acionistas das empresas.

Os ensinamentos de liderança servidora quase sempre ficam em um plano menor devido a pressão recebida no dia a dia no que se refere a decisões e tarefas tanto na vida profissional quanto pessoal sendo necessária a criação de um ambiente favorável para que esses conceitos sejam aplicados.

Inteligência emocional é um termo muito amplo que abrangem habilidades interpessoais, motivação,transito social, empatia e autopercepção  sendo que o Professor Daniel Goleman , de Havard, diz que essas habilidades são responsáveis por 80 a 100% de sucesso de um líder.

Outro nome para inteligência emocional é caráter sendo que ela não é aprendida através da inteligência, ela é desenvolvida quando combinamos conhecimento com as ações necessárias para se chegar a um objetivo e assim se tornar eficiente.

Para Hunter a liderança pode ser aprendida com muito esforça e dedicação porem a inteligência emocional só é desenvolvida com um desejo sincero e um esforço concentrado.

Para que as pessoas melhorem as suas habilidades de liderança Hunter criou um sistema de controle de qualidade que pode ser divididos em três passos:

  • Passo Um: Fundamentos (Determinação de Padrão) esse passo se compõe de duas perguntas ‘Como devo me comportar?’ e “O que acontece se eu não me comportar desta maneira?” onde seu principal conceito é identificar o padrão e fixar os parâmetros.
  • Passo Dois: Feedeback (Identificação das deficiências) nesse passo os lideres devem comparar suas habilidades com a de um líder servidor para conhecer a sua real situação.
  • Passo Três: Atrito (eliminação das deficiências e medição dos resultados) onde as pessoas devem monitorar e medir as mudanças se deve elaborar um plano de ação com objetivos para cada participante de um programa de habilidades de segurança.

As pessoas devem ter em mente que a perfeição não existe e que a mudança se faz através da paciência e comprometimento e que as pessoas devem ser melhores do que forem capazes.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s