Sobre Pedro Paulo Morales

Graduado em Gestão, Especialista em Controladoria e Escritor Web

Os Alicerces da vida

Pedro Paulo Galindo Morales.

Resumo: A vida é como uma casa que deve ser erguida sobre um bom alicerce.

Os alicerces são cordões de concreto e ferro, que servem de base para as paredes e colunas. Todo o ser humano constrói sua vida baseada em relações e estas se parecem muito com os alicerces de uma casa. Os primeiros alicerces da vida de uma pessoa são os pais que desde idade mais tenra cuidam com carinho do novo ser que aprende com essas primeiras lições a amar e ser amado a compreender e ser compreendido, este alicerce é o mais forte de toda a vida e é onde esta fincada a primeira coluna de nossa vida.

Depois de “construído” o primeiro cômodo da nossa casa aqui na terra, é hora de construir o segundo cômodo que abrigará a família, irmãos, tios primos e avos que também deve ser construído com bastante solidez para que dure a vida toda.

Vamos continuando construir a nossa casa e agora chega a hora do cômodo para acomodar os amigos, amigos de escola, de brincadeiras, de perto de casa, é nesse momento que começamos a erguer as primeiras colunas que irão sustentar as nossas experiências de vida se estas não tiverem um bom alicerce correremos o risco de um desmoronamento e caso isso ocorra temos que começar tudo novamente.

Continuando a construção de nossa casa temos o cômodo onde instalaremos o nosso lado profissional é nesse momento que chegamos a nossa segunda mais importante coluna, o trabalho. É esta coluna que ira equilibrar toda nossa vida porque é neste cômodo que abrigaremos a nossa auto realização, satisfação e segurança e também onde ganharemos o nosso pão.

Em uma fase da vida surge à necessidade de construirmos um cômodo especial destinado a abrigar nosso relacionamento com nosso companheiro (a) quer seja namorado (a), esposo (a) ou simplesmente alguém especial, este cômodo da nossa casa deve ser bem feito e bem planejado para que possa aguentar as mais diversas circunstancias trazida pela vida. È nesse cômodo que também criaremos nossos filhos motivo pelo qual ele deve ser seguro e a prova de infiltrações e rachaduras.

Quando todos os cômodos da casa estiverem prontos teremos que cobrir a casa com um excelente telhado para que fiquemos protegidos das tempestades e ventanias que certamente enfrentaremos na vida.

A vida é como uma casa que deve ser erguida sobre um bom alicerce onde em sua composição estarão presentes a honestidade, compreensão, solidariedade e respeito.

Como em nossa casa, na vida devemos fazer reformas, ampliar cômodos, abrir portas ou fecha-las procurar desenvolver novas estruturas, porem devemos entender que para termos sucesso precisamos sempre usar o alicerce que temos porem devemos tomar cuidado para não abalarmos os alicerces com infiltrações (ideias contraria a nossos princípios) ou submetê-los a um peso muito forte, porque se isso acontecer a nossa casa (vida) poderá desabar, e além de nos ferirmos, poderemos ferir muitas pessoas que queremos bem.

Gostar do que faz

Pedro Paulo Galindo Morales.

Resumo: O artigo é baseado no programa Motivação e Sucesso do Professor Marins exibido pela Rede Vida de Televisão e fala sobre como gostar do que se faz é a grande diferença.

Leitores. Uma das maiores preocupações do ser humano é ser feliz e fazer na vida o que se gosta o que realmente dá prazer. Muitas pessoas se sentem desiludidas com o trabalho e com isso começam a fazer cada vez menos, se economizam mais, muitos nem sabem para o que se economizam sempre ficam esperando sempre alguma oportunidade que vale a pena, não sabem que a oportunidade é como um ônibus que com o passar das horas o intervalo entre uma viajem e outra fica cada vez maior ate que chegamos atrasados em nossos compromissos.

Será que sempre fazemos o que gostamos?

Sinceramente não. Fazer sempre o que se gosta é um pensamento irreal, sempre há alguma coisa desagradável em nossas atividades profissionais, algo que nos desagrada. Quando pensamos que poderíamos ter um trabalho que apenas nos traga coisas boas estamos nos engando.

Esse tipo de pensamento não é correto temos que transformar o limão em limonada com se diz popularmente, procurar por um adoçar o nosso trabalho a nossa vida, seria como a frase “não tenho tudo que gosto, mas consigo gostar de tudo que tenho” é como um carro velho se não limpamos ou cuidamos de sua manutenção cada vez mais iremos despreza-lo, ele sempre nos parecera feio.

Somos reconhecidos por aquilo que fazemos, professor, engenheiro, medico, ator, passamos a ter como nossa identidade a profissão que abraçamos e se, exercemos a nossa profissão com dedicação somos bem vistos pelas pessoas e ai incluímos nossos chefes caso não seja assim sempre teremos problemas.

Você que é pai procure identificar quais as brincadeiras do seu filho na infância muitos brincam de professores, gostam de construir pontes ou brincar de escritórios é preciso ajudar os seus filhos a encontrarem um caminho certo, ajuda-los a serem felizes.

Como gostar do que você faz.

  1. Não brigue com o seu trabalho, afinal você tem se sustentar;
  2. Entenda que para ganhar algumas coisas temos que perder outras;
  3. Se dedique ao trabalho para poder usufruir horas de lazer com plenitude, a sensação do dever cumprido é uma das melhores que há e isso lhe dará força para mais um dia.
  4. Pense como você pode melhorar o seu trabalho, se desafie melhore o convívio com o seu chefe, colegas de trabalho, sua equipe e ate mesmo sua família nada é 100% bom e 100% ruim.

Repense o seu trabalho veja se você pode reencontrar os pontos que um dia lhe fizeram abraçar a sua profissão, se você estivesse desempregado você não tentaria ser recontratado novamente. Se sim nada esta perdido tente mudar. Vamos refletir sobre isso!

(Pedro Paulo Galindo Morales é Tecnólogo em Gestão, Pós- Graduado em Controladoria, Técnico em Contabilidade e escritor da web,   www.pedropaulomorales.wordpress.com).

Banco Panamericano um acidente de percurso.

Uma boa gestão é um fator imprescindível para que um empreendimento tenha sucesso pode ter havido uma má gestão nas empresas de Silvio Santos, como pessoas ocupando lugares errados ou proteção de familiares ou amigos que passaram a ocupar cargos para os quais não tinham experiências,  porem se colocar em xeque um modelo que vem dando certo há anos e que atravessou tantos planos econômicos, e uma historia tão bonita como a de Silvio Santos por causa de um acidente de percurso talvez não seja conveniente no momento.

Existem interesses tanto da parte de redes de televisão que querem o fim do SBT com por parte de Bancos que estão interessados no publico que fazem financiamentos de carros, motos e eletroeletrônicos  com o Banco Panamericano porque confiam em Silvio  Santos.

Este caso esta muito parecido com o do Grupo Coroa Brastel, no qual as empresas quebraram e  seu dono morreu pobre e esquecido e acho que Silvio Santos não merece isso

O mercado para portador de necessidades especiais

O mercado para portador de necessidades especiais ainda é novo e a cultura da sociedade ainda não acordou para certos aspectos como, por exemplo, a necessidade de a pessoa com necessidades especiais se profissionalizarem para conseguir um lugar no mercado, pois salvo as pessoas que possuem problemas graves de locomoção ou mentais, os demais problemas exigem muita determinação e coragem por parte da família e do próprio portador da necessidade especial para enfrentar e superar desafios e preconceitos existentes no mercado que os inibem quando o assunto é ter uma boa formação profissional. Devemos lembrar que a palavra necessidade conforme o dicionário quer dizer aquilo que é absolutamente necessário, ou seja, o que o individuo precisa para desempenhar as atividades, porem é preciso que a pessoa faça a sua parte se qualifique , corra atrás e faça a sua parte. É difícil, mas da certo.