Sobre Pedro Paulo Morales

Graduado em Gestão, Especialista em Controladoria e Escritor Web

Sobre Gentileza e Responsabilidade: Os princípios de liderança servidora do Monge e o Executivo

Por Pedro Paulo Galindo Morales

Continuando a série de artigos do livro “Como se tornar um líder Servidor” vamos falar sobre o capitulo 5 onde Hunter diz que para ser um líder servidor é preciso ter boas maneiras ao lidar com as pessoas sendo que essas habilidades estão presentes em todas as pessoas basta ver que quando os executivos estão frente a frente com pessoas importantes todos eles sabem se comportar e serem agradáveis sendo que eles se acostumaram a desenvolverem hábitos de serem desagradáveis com pessoas que não consideram importantes e o mais incrível é que as empresas muitas vezes concordam com esse comportamento.

Uma das técnicas para que as pessoas verifiquem se estão se comportando bem adequadamente é gravar a entrevista de recrutamento onde eles se apresentam amáveis e sorridentes e se mostram como o líder que a empresa precisa, aquele que sabe tratar bem as pessoas.

A maior oportunidade de ser atencioso com outras pessoas é quando desenvolvemos a escuta empática que é aquela em que nos colocamos no lugar dos outros escutamos com atenção e respeito.

Saber escutar é um sinal de gentileza e a boa noticia é que a escuta empática pode ser desenvolvida de maneira que se crie um relacionamento saudável.

O líder deve ter como responsabilidade fazer com que a equipe de liderados contribua para cumprir os objetivos da empresa porque quando o líder não faz isso ele esta prejudicando a empresa pois ela não se beneficia do trabalho do liderado passando o líder a ser o único beneficiado com essa atitude pois ele não tem que enfrentar problemas de relacionamento.

No mundo dos negócios o lucro é o combustível que faz a empresa se mover se não há lucro a empresa para e acaba e é por esse motivo que o líder deve cobrar que o liderado faça o serviço de uma maneira melhor possível, se não fazer não se deve ter duvida em desligá-lo ou removê-lo para outra função.

Conforme Hunter disciplinar é ensinar e os lideres devem ensinar as pessoas a cumprir com suas obrigações, a palavra disciplina vem de discípulo e tem a ver com aquele que recebe treinamento ou ensinamento, mas infelizmente atribuiu-se a ela um caráter negativo ligado a punição e humilhação quando o sentido certo da palavra deve ser entendido como levar a pessoa ao caminho certo.

Os lideres servidores possuem a capacidade de “abraçar” quando seus liderados estão com problemas e dar uma “palmadas” quando eles precisam ser repreendidos ficando claro que os gestores devem cumprir metas ao mesmo tempo que desenvolvem relacionamentos e fazem escolhas entre o certo e o errado motivo pelo qual ele deve ter influencia sobre a sua equipe a fim de que estas escolhas possam obter sucesso.

Quando se faz a escolha de ser líder deve-se ter em mente que o caminho é árduo e que neste caminho há escolhas e transformação e é imprescindível que o líder tenha essa habilidade, pois ser um líder autoritário é fácil difícil é ser um líder paciente, gentil, humilde , respeitoso , altruísta honesto e dedicado.

Como se diz na agricultura “Ou se esta verde e crescendo ou se esta maduro e apodrecendo” onde o verde é a transformação (escolhas) e o maduro é a acomodação.

Sobre Liderança e Amor: Os princípios de liderança servidora do Monge e o Executivo.

Por Pedro Paulo Galindo Morales

Resumo: O artigo fala sobre liderança dos princípios de liderança servidora do Monge e o Executivo do autor James C. Hunter em seu livro “Como se tornar um líder Servidor” Capitulo 4.

Neste capitulo Hunter diz que o amor é visto como um sentimento romântico e por esse motivo encontra certa resistência quando é falado em seminários e palestra principalmente pelo público masculino.

O amor deve ser entendido como não como um sentimento negativo, mas sim como um sentimento positivo, desde que você se sinta bem em relação a alguém ou alguma coisa. O amor de que Hunter fala não é aquele amor de paixão, mas sim o amor de vontade (devocional) que é aquele em que uma pessoa se coloca a disposição para ajudar compreender e satisfazer as necessidades legitima de outra pessoa mesmo quando não temos afinidades por pessoas que não gostamos.

Quando se esta em uma posição de liderança se deve dar o exemplo deve-se agir de acordo com o que se fala e agir com São Francisco de Assis que pediu aos seus seguidores “pregassem o evangelho em todas as ocasiões ma só usassem palavras quando fosse necessário.

As qualidades do amor e liderança podem ser contempladas no que o autor chama de “Passagem do Amor” onde o que é dito vai de encontro ao que pessoas que participam dos seminários de liderança dizem sobre a arte de liderar, a lista contem características como, honestidade, respeito firmeza justiça atenção articulação dedicação e previsibilidade. A “Passagem do Amor” é muito utilizada em casamentos e esta escrita em Coríntios 1 ,Capitulo 13 a qual reproduzimos a seguir 4.O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso (respeito); o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece (humilde) . 5. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses (altruísta), não se irrita, não suspeita mal; 6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7.Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.8 O amor nunca falha (dedicado) , para o autor a passagem bíblica reflete a qualidade do amor que representa a verdadeira essência da liderança e o verdadeiro significado do caráter ( o que se faz) a lista do comportamento do líder é:

Liderança exige Qualidade Percebida
Paciência Auto Controle
Gentileza Tratar os outros bem, se interessar pelos outros
Humildade Comportamento autentico, sem complexo de inferioridade
Respeito Tratar as pessoas com a devida importância, construir uma relação de confiança, delegar tarefas
Altruísmo Atender as necessidades legitimas dos outros.
Perdão Tolerar as imperfeições das pessoas (comportamentos)
Honestidade Não tentar enganar ninguém
Compromisso Ter coragem moral de fazer a coisa certa, lealdade para com a equipe

Sobre o Desenvolvimento da autoridade: Os princípios de liderança servidora do Monge e o Executivo.

Por Pedro Paulo Galindo Morales

Neste capitulo Hunter diz como é o desenvolvimento da autoridade e como as pessoas absorvem com mais facilidade o conceito de liderar através do poder, que leva ao uso da força, tarefas extras, relacionamentos abalados entre outras conseqüências. Hunter ao observar esse tipo de comportamento concentrou seus estudos em outro tipo de liderança aquela em que se consegue mobilizar as pessoas do “pescoço para cima”, ou seja, de bom grado, e para entender qual a verdadeira essência da liderança estudou grande lideres de todas as áreas com militar, pedagógica, negócios, esportes, entre outros porque Hunter a esta altura sabia que o uso do poder era limitado.

Estudando estes lideres Hunter chegou à conclusão que deveria saber o que Jesus tinha a dizer sobre liderança, pois deixando de lado a parte de religião é não se pode negar que Jesus foi um grande líder obtenho ate mesmo o reconhecimento de Napoleão Bonaparte que chegou a dizer que existiram grandes impérios que foram construídos na base da força, mas o filho do modesto carpinteiro fundou o seu império na base do amor e até hoje milhares de pessoas o seguem.

A essência da liderança esta em servir e conforme uma passagem do evangelho de Mateus que se me permitem uma referencia extra capitulo 3 quando menciono o Capitulo 10 do evangelho de Mateus onde Cristo chamou os discípulos e deu-lhes poder (autoridade) para curar todas as enfermidades e todo o mal, na viagem eles deveriam falar sobre a palavra de Deus e curar a todos sem ver a quem a viagem deveria ser feita de maneira simples sem se preocupar com coisas materiais e quem não os ouvissem eles deveriam perdoar.

Esta complementação foi feita para tentar mostrar como Hunter tem razão quando escreve que para liderar é preciso influenciar as pessoas do “pescoço para cima” e é justamente isso que lemos na passagem do evangelho de Mateus que Jesus de poder “autoridade” aos discípulos de curar os males (servir) de todos a fim de influenciar a todos a aceitar o era dito (chegou o reino dos céus) o que comprova mais uma vez que influencia e liderança quando legítimas são construídas com muito trabalho e sacrifício.

As pessoas geralmente são resistentes a servir pois acham que para ter autoridade basta ter um cargo , mas elas não sabem que tudo melhoraria se o controle diminuísse e a confiança fosse aumentada, não que o controle deva ser posto em segundo plano porque ele é importante mas a confiança é também uma fonte de motivação para os colaboradores.

Muitos líderes têm pouca idade emocional são do tipo “eu quero” ou “eu sou o maior” e essa atitude cria problema de relacionamento com seus liderados porque o que realmente funciona em uma liderança servidora é a renuncia aos interesses pessoais aos interesses de todos.

A alegria de servir deve estar sempre presente porque com Abraham Lincoln disse “Quando eu faço o bem eu me sinto  bem” ou seja quando respeito os outros tenho colaboração e quando sou egoísta eu tenho pessoas pensando em sentido contrario.

Servir é uma opção pessoal e por isso devemos aprender a servir para influenciar e quando influenciamos temos autoridade.

Sobre Poder e Autoridade. Os princípios de liderança servidora do Monge e o Executivo.

Por : Pedro Paulo Galindo Morales.

Resumo: O artigo fala sobre liderança dos princípios de liderança servidora do Monge e o Executivo do autor James C. Hunter em seu livro “Como se tornar um líder Servidor” Capitulo 2.

A liderança e o caráter são determinados pelas opções diárias que fazemos estas é uma das duas únicas coisas de que temos certezas na vida à outra é a morte.

A maioria dos papeis de liderança vem junto com o poder, mas sempre sem o desenvolvimento da autoridade.

Para Hunter há uma diferença entre poder e autoridade e para explicar essa diferença ele recorre a Max Weber um dos fundadores da sociologia, ele desenvolveu a teoria da organização social e econômica em que aponta as diferenças entre poder e autoridade. Para Weber o raciocínio é o seguinte: poder é quando obrigamos alguém a fazer algo quando podemos fazer o uso de algum tipo de represália e autoridade é a habilidade de fazer com que uma pessoa faça alguma tarefa de bom grado por que temos influencia.

O poder funciona por um bom período porem ao longo do tempo começa a deteriorar os relacionamentos. Nas empresas o uso desse poder pode levar a uma serie de problemas de relacionamento que ir atrapalhar o lucro da empresa.

Para que uma empresa sobreviva, ela tem que atender necessidade humana se ela não fizer isso ela ira desaparecer. As empresas saudáveis são aquelas que mantém um bom relacionamento com os clientes,funcionários ,acionistas, fornecedores e comunidade . No novo milênio a cultura do poder será incapaz de manter a empresa competitiva no mercado.

O mundo esta mudando não há mais lugar para os velhos paradigmas, a estrutura piramidal da hierarquia militar, onde a técnica de gestão pregava que o funcionário não precisava pensar e o que importava era fazer o chefe feliz ficou cada vez mais distante.

Hoje o que vale é agradar o cliente, estimular as pessoas a trabalharem com qualidade e desperta-las para a inovação dos processos, a liderança moderna exige habilidades como paciência e confiança.

O poder deve ser usado em situações especificas para atender as necessidades do momento e quando o usamos nos sentimos frustrados, pois sabemos que quando usamos a autoridade conseguimos a colaboração dos outros e conseguimos isso através da influencia sobre as pessoas e como surge a autoridade?

Surge através da disponibilidade que o líder demonstra em ajudar as pessoas que estão sob a sua liderança a se tornarem melhores, ele serve as pessoas (identifica suas necessidades).

(Pedro Paulo Galindo Morales é Tecnólogo em Gestão, Pós- Graduado em Controladoria, Técnico em Contabilidade e escritor da web, pedropaulomorales@yahoo.com.br ).